Você está em Grandes civilizações > Egito

Pedra de Roseta

A Pedra de Roseta é um bloco de granito negro (muitas vezes identificado incorretamente como "basalto"),  mede 118 cm de altura, 77 cm de largura e 30 de espessura.

Ela foi descoberta em 1799, numa expedição militar do então general Napoleão - mais tarde ela foi capturada pelos ingleses.

O bloco de pedra tem estranhos glifos cunhados separados em três partes distintas. Cada parte apresenta uma espécie de escrita que em nada se assemelhava com as outras duas. Estas três formas de escrita, constatou-se depois, eram textos nas línguas escritos em hieróglifos, demótico egípcio  e grego.

   Pedra de Roseta

A Pedra de Roseta é um fragmento de uma estela, bloco de pedra com inscrições de registros governamentais ou religiosos.

Sua tradução ainda causa conflitos entre nações e, até os dias de hoje, estudiosos debatem sobre quem deveria levar crédito por decifrar o código dos hieróglifos. Até mesmo a atual localização da pedra é assunto para debate. O objeto sempre foi considerado de grande importância histórica e política.

A realização da tradução em 1822 pertence ao estudante francês Jean-François Champollion, que desta forma iniciou a ciência de estudo de assuntos referentes ao Egito, a Egiptologia.

Como referenciar: "Pedra de Roseta" em Só História. Virtuous Tecnologia da Informação, 2009-2018. Consultado em 17/07/2018 às 12:29. Disponível na Internet em http://www.sohistoria.com.br/ef2/egito/roseta.php