Origem do Homem
 Evolução Humana
 Tempo Histórico
 Períodos da História
 Grandes Civilizações
 Descobrimento do Brasil
 Território Brasileiro
 Três Poderes
 Guerra do Paraguai
 Guerra Fria
 Primeira Guerra Mundial
 Segunda Guerra Mundial
 Revolução Russa
 Guerra dos Canudos
 Revolução Farroupilha
 Inconfidência Mineira
 Laifis de História
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line
 Jogos On-line

 Área dos Professores
 Atualidades
 Profissão Historiador
 Dicionário de História
 História Ilustrada
 Personalidades Históricas
 Resumos

 Curiosidades
 Lendas & Mitos
 Links Úteis
 Datas Comemorativas
 Efemérides
 Hoje na História
 Indicação de Livros
 Indicações de Filmes
 Vídeos
 Textos dos usuários
 Hinos
 Mapas Históricos
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

Gonçalves Dias

 

O poeta Antônio Gonçalves Dias, que se orgulhava de ter no sangue as três raças formadoras do povo brasileiro (branca, indígena e negra), nasceu no Maranhão em 10 de agosto de 1823. Em 1840 foi para Portugal cursar Direito na Faculdade de Coimbra. Ali, entrou em contato com os principais escritores da primeira fase do Romantismo português.


Em 1843, inspirado na saudade da pátria, escreveu "Canção do Exílio".


No ano seguinte graduou-se bacharel em Direito. De volta ao Brasil, iniciou uma fase de intensa produção literária. Em 1849, junto com Araújo Porto Alegre e Joaquim Manuel de Macedo, fundou a revista "Guanabara".


Com o objetivo de mudar de vida, embarca novamente para a Europa, onde passa uma temporada. Com a saúde abalada, ele resolve, anos mias tarde, voltar ao Brasil. Na viagem, porém, morre no naufrágio do navio Ville de Boulogne, em 1864, próximo ao Maranhão.


Se por um lado deve-se a Gonçalves de Magalhães a introdução do Romantismo no Brasil, por outro, deve-se a Gonçalves Dias a sua consolidação. Isso porque o poeta trabalhou com maestria todas as características iniciais da primeira fase do Romantismo brasileiro. De sua obra, geralmente dividida em lírica, medieval e nacionalista, destacam-se "I-juca Pirama", "Os Tibiramas" e "Canção do Tamoio".

 

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

 

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale conosco

Copyright © 2009-2014 Só História. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.